Quem sou eu

Minha foto
Salvador, Bahia, Brazil
Tentado pela maçã que invade seu pseudo-espaço, angustiado pela irresolução que se lança sobre suas fantasias, instável como um big bang caótico, que se faz em uma rubra pincelada em um céu vazio, perdido de uma viagem eterna em um mar de consciência flutuante, eis o navio de cristal, eis três viajantes em um mesmo barco, tão frágil quanto a relatividade de suas emoções, sozinhos a buscar pelo ideal perdido, doce vicio, quanto ao qual é escrever sobre o que há de ser, pensar, fazer, sonhar e por fim realizar.

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Bobagem


Tenho tanto medo que quase posso chorar, 
Porque eu amo tanto que quase chega a doer,
Se eu pudesse voltar atrás escolheria amar,
Porque eu quase me esqueço o que era viver.

Meu dilema é bobagem, é ter que aguentar, 
Amar um bocado, ou tentar te esquecer,
Porque se por um dia não posso te amar,
Transbordo saudade e nada posso fazer.

É estranho ser hoje mais do que ontem fui, 
Porque o normal de ontem era ser só eu,
Felizmente hoje sou mais do que sempre fui,
Talvez seja porque, hoje sou eu e você.

E se amanhã chover, eu irei estar lá,
Porque se você ao meu lado estiver, 
Feliz, completo e bobo contigo estarei,
Basta apenas sorrir, e dizer que me quer.


J.

Um comentário:

  1. Pelo amor, até J. vai do afã de uma dor solitária à imensidão.


    Abraço

    ResponderExcluir